Como tocar violão dedilhado

A base de todo dedilhado no violão é o progresso de autonomia de movimentos entre o polegar e os demais dedos da mão do corpo do aparelho. Com isto é possível tocar uma série rítmica nos bordões com o polegar, ao inclusive tempo que se abrigo a cantiga com os demais dedos nas primas.

Em dedilhados avançados há uma abundância de sutilezas e variações, porém é melhor iniciar com as formas básicas, no qual o polegar abrigo a série de baixa.
Grande parte da som popular que emprega dedilhados é abecedário em Compassos de quatro tempos. Estes tempos são constantemente marcados por baixa alternados de maneira que há constantemente 2 categorias de 2 em cada andamento.

Essas linhas de baixa alternados, que são como uma marca registrada em som americana folk, country e ragtime, estão, aproximadamente ausentes da som clássica.

Para dedilhar, você pode adotar a acomodação clássica para a mão do corpo do aparelho, e que são empregadas em som folk, blues, country, ragtime e rock. A arquétipo é que a acomodação correta da mão do corpo do aparelho é primordial para se conquistar ótima limpidez e controle tocar violão ancestral. Porém o violão de cordas de aço acarreta aparelhagem aceitativo em muitas posições de mão.

Tendo como exemplo, descansar a base da aplauso da mão sobre o cavalete, por após do rastilho. A aplauso encontra-se sendo, por isso, um ponto de ajuda citado e pode ser usada para abafar os bordões, criando maior aquilatador entre a série rítmica e a cantiga. Esta é uma ótima forma de evitar que os bordões continuem soando ao mesmo tempo a cantiga.

Estilos básicos

As várias variações de dedilhados que empregam o polegar nos bordões e os demais dedos nas primas são capazes de ser agrupadas em 2 estilos básicos, os que fazem o uso de 2 dedos nas primas e os que empregam os 3.

Os primeiros músicos de blues costumavam abraçar o periodicidade nos bordões com o polegar e tocar a cantiga com o indicador e o médio nas primas. Este dedilhado, que apresenta-se similarmente em mais estilos musicais, era aptidão do reverendo Gary Davis, um dos pioneiros do blues, e ficou chamado de clawhammer “malho de unha”, uma vez que a acomodação da mão do corpo do aparelho, lembra a maneira de um malho do forma utilizado para abduzir pregos.

Vários violonistas empregam 3 dedos ao invés 2 “cada aptidão tocando uma das primas”

Estilo polegar e 2 dedos

Com 2 dedos
O polegar abrigo a série de baixa nos bordões 6ª, 5ª e 4ª cordas, em maior parte de cima para baixo. O indicador e o médio tocam a cantiga nas primas (3ª, 2ª e 1ª cordas, aproximadamente constantemente de baixo para cima.

Estilo polegar e 3 dedos

Com 3 dedos
O polegar abrigo os bordões. Usa-se similarmente o aptidão ab-rogar. Dessa maneira, o indicador abrigo a 3ª ajoujo, o médio a 2ª e o ab-rogar a 1ª. Dependendo do acordado, no entanto, o indicador passa para a 4ª ajoujo, o médio para a 3ª e o ab-rogar para a 2ª ajoujo.

Padrões de dedilhado

Os exemplos abaixo dão uma ideia de como funcionam os dedilhados. Com eles, você conseguirá reproduzir o controle independente dos dedos. Servem de base, similarmente, para que você crie seus próprios padrões.

Todos eles estão escritos em tablatura e fazem o uso de acordes simples, que empregam cordas soltas. O bordão pode variegar, porém os padrões de dedilhado são os mesmos. Os primeiros 3 exemplos abrange uma série de baixa bastante simples, dando um resultado de arpejo às notas tocadas nas primas. Nos mais 3 exemplos, o polegar abrigo um baixo alternado, passando da 6ª para a 4ª ajoujo.

Comece prestando muito atenção ao movimento dos dedos e buscando preservar a mão o mais relaxada possível. Apenas no momento em que sentir que sua mão automatizou o padrão é que você deverá reforçar a rapidez.

Aqui estão 3 Vídeo Aulas que fazem parte do curso Fórmula Violão Express (EXERCÍCIO MÃO DIREITA)
Padrões de arpejo
padrões de arpejo
Padrões com baixo alternado
padrões com baixo alternado

Mudanças de acordes em dedilhados

Após adestrar-se alguns padrões básicos de dedilhado é possível aplicá-los em progressões básicas de acordes, o mais fundamental é preservar um periodicidade citado no decorrer das mudanças de acordado, estas agonia constantemente interferem na andamento, no aprendizado exordial da aprendizado.

O adágio abaixo foi construído sobre uma das progressões de acordes mais comuns, uma continuação decrescente de Am, G, F e E. O dedilhado possui um baixo alternado citado e é abordado num andamento de quatro tempos, conte 1-e-2-e-3- e-4-e.

A cada andamento você completará uma vez o padrão de dedilhado.
Cada acordado dura 2 Compassos.
Ao desviar de acordado, o polegar deverá substituir de bordão, para quantidade tocar a tônica de cada um dos acordes da ascensão.
Não custa advertir, a tônica de A menor está na 5ª ajoujo solta, a de G na 6ª ajoujo 3º traste, a de F na 4ª ajoujo 3º traste e a de E na 6ª ajoujo solta.
No primeiro tempo de cada andamento, as duas notas juntas precisam ser tocadas pelo polegar e pelo ab-rogar.
No final você pode mudar de E para A menor e recomeçar.
oscilação de acordes em dedilhados

Conciliação de baixa e cantiga

Além de alicerçar um estilo para o orientação a partir de acordes, o dedilhado similarmente possibilita misturar ao inclusive tempo linhas completas de baixo e de cantiga. Dessa maneira, você pode tocar sem companhia um acerto a duas exigências. Esse estilo se baseia num forma de dedilhado um tanto mais sofisticado, uma vez que constitui uma conciliação de solo e orientação rítmico.
Experimente o acerto a seguir, da som When the Saints Go Marching In.

 

Nos bordões, possuimos um baixo alternado citado de quatro tempos por andamento.
A cantiga é tocada nas primas.

Adágio
“When the saints go marching in”
Esse acerto de dedilhado ilustra o principio de misturar uma série rítmica e citado de baixa alternados, tocados pelo polegar, com uma cantiga simples tocada pelas primas.
conciliação de baixa e cantiga

Dedilhado com palheta

Esse estilo é um tanto mais difícil, porém muito caprichoso. Utilizado por farto guitarristas – Jimi Hendrix, tendo como exemplo, é uma conciliação de dedilhado aceite e solo com palheta. Na andamento, a palheta precisa ficar na acomodação habitual, entre o polegar e o indicador, enquanto os demais dedos fazem o dedilhado.
dedilhado com palheta

Como tocar as cordas
Segure a palheta geralmente para tocar os bordões.

continuação em duas cordas

Adágio: continuação em duas cordas
O ideal para esta continuação é tocar uma das cordas com a palheta e a outra com o aptidão médio. Nas notas unidas por agulha a palheta abrigo somente a primeira, a segunda nota soa visto que o aptidão desliza até o traste posterior.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.